quarta-feira, 25 de maio de 2011

Conversa de duas Crianças...

Olá amigos. Pois é, acho que assim como eu vc já deve ter recebido alguns emails de correntes, piadas, mensagens, brincadeiras e etc (se não recebeu ainda, nossa que incrível). Eu particularmente, recebo em média uns 15 por semana, e como eu não gosto de minha caixa de entrada lotada (odeio), do uma lidinha por cima, aproveito o que presta e excluo a graaande maioria...
Aqui em meu blog, eu divulgo as que acho interessante (e depois excluo da minha caixa de entrada, sacas?). Pois então, tenho um marcador criado só para postagens de emails recebidos.
O que estou postando hoje, é sobre uma conversa de duas crianças, achei muito engraçado. Lá vai...

— E aí, véio?

— Beleza, cara?

— Ah, mais ou menos. Ando meio chateado com algumas coisas.

— Quer conversar sobre isso?

— É a minha mãe. Sei lá, ela anda falando umas coisas estranhas, me botando um terror, sabe?

— Como assim?

— Por exemplo: há alguns dias, antes de dormir, ela veio com um papo doido aí. Mandou eu dormir logo senão uma tal de Cuca ia vir me pegar. Mas eu nem sei quem é essa Cuca, pô. O que eu fiz pra essa mina querer me pegar? Você me conhece desde que eu nasci, já me viu mexer com alguém?

— Nunca.

— Pois é. Mas o pior veio depois. O papo doido continuou. Minha mãe disse que quando a tal da Cuca viesse, eu ia estar sozinho, porque meu pai tinha ido pra roça e minha mãe passear. Mas tipo, o que meu pai foi fazer na roça? E mais: como minha mãe foi passear se eu tava vendo ela ali na minha frente? Será que eu sou adotado, cara?

— Como assim, véio?

— Pô, ela deixou bem claro que a minha mãe tinha ido passear. Então ela não é minha mãe. Se meu pai foi na casa da vizinha, vai ver eles dois tão de caso. Ele passou lá, pegou ela e os dois foram passear. É isso, cara. Eu sou filho da vizinha. Só pode!

— Calma, maninho. Você tá nervoso e não pode tirar conclusões precipitadas.

— Sei lá. Por um lado pode até ser melhor assim, viu? Fiquei sabendo de umas coisas estranhas sobre a minha mãe.

— Tipo o quê?

— Ela me contou um dia desses que pegou um pau e atirou em um gato. Assim, do nada. Maldade, meu! Vê se isso é coisa que se faça com o bichano!

— Caramba! Mas por que ela fez isso?

— Pra matar o gato. Pura maldade mesmo. Mas parece que o gato não morreu.

— Ainda bem. Pô, sua mãe é perturbada, cara.

— E sabe a Francisca ali da esquina?

— A Dona Chica? Sei sim.

— Parece que ela tava junto na hora e não fez nada. Só ficou lá, paradona, admirada vendo o gato berrar de dor.

— Putz grila. Esses adultos às vezes fazem cada coisa que não dá pra entender.

— Pois é. Vai ver é até melhor ela não ser minha mãe mesmo… Ela me contou isso de boa, cantando, sabe? Como se estivesse feliz por ter feito essa selvageria. Um absurdo. E eu percebo também que ela não gosta muito de mim. Esses dias ela ficou tentando me assustar, fazendo um monte de careta. Eu não achei legal, né. Aí ela começou a falar que ia chamar um boi com cara preta pra me levar embora.

— Nossa, véio. Com certeza ela não é sua mãe. Nunca que uma mãe ia fazer isso com o filho.

— Mas é ruim saber que o casamento deles não está dando certo… Um dia ela me contou que lá no bosque do final da rua mora um cara, que eu imagino que deva ser muito bonitão, porque ela chama ele de ‘Anjo’. E ela disse que o tal do Anjo roubou o coração dela. Ela até falou um dia que se fosse a dona da rua, mandava colocar ladrilho em tudo, só pra ele passar desfilando e tal.

— Nossa, que casamento bagunçado esse. Era melhor separar logo.

— É. só sei que tô cansado desses papos doidos dela, sabe? Às vezes ela fala algumas coisas sem sentido nenhum. Ontem mesmo, ela disse que a vizinha cria perereca na gaiola… já viu… essa rua só tem doido…

— Ixi, cara. Mas a vizinha não é sua mãe?


— É mesmo! Tô ferrado de qualquer jeito.

Garota


Quando uma garota está quieta...
tradução: um turbilhão de pensamentos enchem sua mente.

Quando uma garota diz que está com frio...
tradução: ela quer um abraço.

Quando uma garota diz que vai sentir sua falta...

tradução: ela não imagina a vida sem você.

Quando uma garota chora...
tradução: ela se esforçou ao máximo para refrear as lágrimas, mas não conseguiu.

Quando uma garota diz que está cansada...
tradução: ela quer que você seja seu travesseiro.

Quando uma garota sorri...
tradução: é porque ela se se sente bem ao seu lado.

Quando uma garota diz que está com saudades...
tradução: é porque isso está a corroendo por dentro.

Quando uma garota está triste...
tradução: ela precisa de você mais do que nunca.

Quando uma garota balança as mãos...
tradução: ela quer que você as segure.

Quando uma garota te olha no fundo dos olhos e sorri...
tradução: ela encontrou em você tudo o que sempre procurou

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Mais perto quero estar, meu Deus de ti ♪

Olá amigos, quanto tempo! Bom, hoje vou postar uma breve história sobre um hino que está algum tempo na minha cabeça. Pra falar a verdade, ele é um dos hinos mais comoventes que existe. Ele é um louvor que me emociona muito, pode-se dizer que ele é uma oração em forma de canção. Espero que gostem.
Durante muitos anos, somente os homens escreviam hinos, mas, pouco a pouco, as mulheres também começaram a usar o seu talento poético e, hoje, temos muitos hinos escritos por mulheres consagradas a Deus e ao Seu trabalho.
Mas, um dos mais conhecidos em todo o mundo foi o hino escrito por Sarah Flower Adams (1805-1848). Trata-se do hino “Mais Perto Quero Estar” (Hino 187 da Harpa Cristã). Foi no ano de 1841 que esta senhora, que estudava muito a Bíblia, ficou tão impressionada com a história relatada no livro de Gênesis (capítulo 28) sobre a visão de Jacó, em Betel, e a escada que alcançava o céu, e os anjos que subiam e desciam por ela, que, inspirada naquela passagem bíblica, resolveu escrever este hino que mais tarde se tornou universalmente conhecido.
Dizem que, quando os visitantes cristãos visitam a Palestina, em chegando a este lugar, Betel (hoje Bira, um território da Jordânia), param e cantam este hino, evocando os acontecimentos impressionantes experimentados por Jacó. As palavras deste hino tem sido um grande auxilio e um grande conforto para muitos crentes em tempos de dificuldades.
É impossível esquecermos o terrível desastre com o grande transatlântico “TITANIC” nos primeiros anos do século passado. Era a sua viagem inaugural; grandes personagens viajavam nele; viajava, também, um grupo de peregrinos, crentes da Europa que demandavam a nova terra (EUA). Mais de mil vidas se perderam naquela ocasião. E contam que, quando o grande navio estava quase afundando, tinha-se a impressão de que ia haver um pânico geral; porém, a orquestra de bordo começou a tocar o hino “Mais Perto Quero Estar”, e, imediatamente, foi presenciado um espetáculo comovedor: os crentes e outros tripulantes, dando as mãos uns aos outros, começaram a cantar também o hino à medida que o navio ia afundando-se! A música deste hino foi feita pelo conhecido compositor sacro Lowell Mason, autor de inúmeras outras músicas e que se tornou famoso pelos seus excelentes trabalhos.

Acredito que, inúmeras pessoas só tenham conhecido esse lindo louvor pelo fato de ter assistido o filme. 
Eu também acredito que naquela hora de desespero no Titanic, muitas pessoas se voltaram á Deus pelo ouvir deste hino. Apenas lamento que para seguir a Deus, as pessoas precisem passar pela dor.

À direita, o hino de Sarah Flower Adams, "Mais junto, ó Deus, a Ti"(Nearer my God to Thee) que, segundo testemunhas que se afastavam nos botes salva-vidas, foi tocado pela orquestra de bordo até quase o momento de o transatlântico submergir. O regente da orquestra de bordo, Wallace Hartley, era membro da Igreja Metodista e foi certamente o seu profundo instinto religioso que o levou a tocar o hino nos momentos finais do Titanic. O mesmo hino foi cantado na
 maioria dos ofícios fúnebres da época. Na superprodução de James Cameron, o hino foi fielmente tocado, detalhe que muitos certamente não perceberam.
 

Sarah Fuller Flower Adams
(22 February 1805 – 14 August 1848)
Compositora do Hino 
Orquestra de bordo - Titanic





















O hino cantado por: Soraya Moraes - André Valadão -   Mattos Nascimento - Nívea Soares


''Não gastem o tempo em festanças desenfreadas, nem embebedando-se, ou no adultério e na imoralidade, ou em brigas ou ciumeiras. Mas orem a que o Senhor os ajude a viver como devem..."
''E isto digo, conhecendo o tempo, que já é hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé.''

Romanos 14:10; 13:11




segunda-feira, 9 de maio de 2011

O Fundo da Piscina


Um excelente nadador tinha o costume de correr até a água e de molhar somente o dedão do pé antes de qualquer mergulho. 
Alguém intrigado com aquele 
comportamento, lhe perguntou qual a razão daquele hábito. 
O nadador sorriu respondeu: Há alguns anos eu era um professor de natação. Eu os ensinava a nadar e a saltar do trampolim. Certa noite, eu não conseguia dormir, e fui até a piscina para nadar um pouco.  

Não acendi a luz, pois a lua brilhava através do teto de vidro do clube. Quando eu estava no trampolim, vi minha sombra na parede da frente. Com os braços abertos, minha imagem formava uma magnífica cruz.

Em vez de saltar, fiquei ali parado, contemplando minha imagem. Nesse momento pensei na cruz de Jesus Cristo e em seu significado. Eu não era um cristão, mas quando criança aprendi que Jesus tinha morrido na cruz para nos salvar pelo seu precioso sangue.  

Naquele momento as palavras daquele ensinamento me vieram a mente e me fizeram recordar do que eu havia aprendido sobre a morte de Jesus.

Não sei quanto tempo fiquei ali parado com os braços estendidos. 

Finalmente desci do trampolim e fui até a escada para mergulhar na água. 
Desci a escada e meus pés tocaram o piso duro e liso do fundo da piscina. 

Haviam esvaziado a piscina e eu não tinha percebido

Tremi todo, e senti um calafrio na espinha.  
Se eu tivesse saltado seria meu último salto. Naquela noite  
a imagem da cruz na parede salvou a minha vida.

Fiquei tão agradecido a Deus, que ajoelhei na beira da piscina, confessei os meus pecados e me entreguei a Ele, consciente de que foi exatamente em uma cruz que  Jesus morreu para me salvar. 

Naquela noite fui salvo duas vezes e, para nunca mais me esquecer, sempre que vou até piscina molho o dedão do pé antes. Deus tem um plano na vida de cada um de nós e não adianta querermos apressar, ou retardar as coisas, pois, tudo acontecerá no seu devido tempo e esse tempo é o tempo Dele e não o nosso...

Autor desconhecido

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Katherine Heigl - Atriz do momento

  Olá, pessoas. Hoje vou falar um pouco dessa atriz a Katherine Heigl.
Eu a vi pela primeira vez ou talvez só a tenha notado, na série Grey's Anatomy. Lá ela interpretava a bela e esforçada médica Isobel "Izzie" Stevens. A partir daí, comecei a ver muitos filmes seguidos com ela, onde era a protagonista. E aliás, eu gostei de todos! Agora quando vejo algum trailler com Katherine, logo imagino uma história legal. Pois até hoje, amei todas suas personagens...

Biografia

 Katherine é filha de Paul e Nancy Heigl e foi criada como Mormon. Pouco tempo depois de seu nascimento, a família se mudou para a cidade de New Canaan, em Connecticut, onde seu irmão mais velho, Jason, viria a falecer em 1986, após um acidente de carro. Pouco após sua morte cerebral ter sido declarada, a família decidiu que a coisa certa a se fazer seria doar seus órgãos. Esse evento é um dos maiores fatores para que Katherine tivesse se tornado uma grande incentivadora da doação de órgãos.

Aos nove anos, uma tia, durante uma visita à família, tirou diversas fotografias de Katherine. De volta a seu lar em Nova York, a mesma tia decidiu mandar cópias das fotos para diversas agências de modelos, com a permissão dos pais de Katherine. Poucas semanas depois, Katherine assinava um contrato para se tornar modelo infantil.
É casada com Josh Kelley desde dezembro de 2007. Em setembro de 2009 adotaram uma menina de origem coreana com dez meses, deram-lhe o nome de Nancy Leigh, uma homenagem à sua mãe e à sua irmã. 


aii, que família lindaa! 


Carreira
Só alguns filmes de Heigl, a partir de 2000. Vi a maioria e recomendo.
  
   
  
  
  
Seu próximo filme:
 
Um Dinheiro Nada Fácil